Unifei sedia o XIV Encontro Nacional de Engenharia e Desenvolvimento Social

da Unifei

A Universidade Federal de Itajubá (Unifei) sediou, de 17 a 20 de outubro, a XIV edição do Encontro Nacional de Engenharia e Desenvolvimento Social (Eneds), evento que ocorre anualmente e que tem por objetivo abrir um espaço de reflexão dentro da Engenharia, para discutir os caminhos e as possibilidades de desenvolvimento social. As inscrições para o evento foram gratuitas, havendo a participação de 415 pessoas, incluindo 340 credenciadas, entre os quais 126 da Unifei; 40 sem credenciamento e 35 envolvidas na organização.

O Eneds teve a participação de estudantes e professores de várias instituições de ensino superior do Brasil: Cefet – MG, Cefet – RJ, Facesm, Faculdade Pitágoras, Fepi, FMIt, Furg, IFBA, Inatel, UEPG, Uerj, UFBA, UFC, UFCA, UFF, Ufla, UFMG, Ufop, UFRB, UFRGS, UFRJ, UFRN, UFSC, UFSM, UFU, UFVJM, Uneb, Unesp, Unicamp, Unifacs, Unifei, Unifesp, Unilab, Unirio, Unitau e USP. Além disso, participaram membros de duas instituições colombianas, a Universidad de los Andes e a Universidad Nacional de Colombia, e, por vídeo conferência, representantes da Argentina, Chile e Uruguai.

A maior parte das atividades do Eneds 2017 aconteceram no saguão da Biblioteca Mauá (BIM) da Unifei. Segundo os organizadores, o tema central, “Movendo outras engrenagens”, teve o objetivo de problematizar o papel dos engenheiros e engenheiras e despertar o interesse de estudantes, professores e profissionais de todo o Brasil, para que juntos, possam mover outras engrenagens, descobrir novos caminhos, e fortalecer a engenharia popular, como forma de construção de uma sociedade mais justa e igualitária para todas as pessoas.

A plenária final, mediada pela Comissão Organizadora do XIV Eneds, como ocorre tradicionalmente nos encontros, foi o espaço de avaliação do evento e também o momento no qual se definiram as sedes do Eneds 2018, que acontecerá na Universidade do Estado da Bahia (Uneb), em Alagoinhas – BA, e dos Encontros Regionais de Engenharia e Desenvolvimento Social (Ereds). Foi proposta também a criação de uma Rede Latinoamericana de Engenharia Popular e a participação de membros da Rede de Engenharia Popular Oswaldo Sevá (Repos) em encontros sobre Engenharia e Desenvolvimento Social em países da América Latina.

O Eneds

Segundo seus organizadores, o Eneds busca interligar as instituições de ensino e pesquisa, setores públicos e privados, movimentos sociais e a própria sociedade civil, com o intuito de conscientizar os participantes sobre a demanda popular da ciência e tecnologia de forma emancipadora.

 O Encontro tem colaborado com a redução das distâncias e barreiras entre profissionais, estudantes, setores populares e interessados que desejam aprofundar seus conhecimentos sobre como a Engenharia pode contribuir com o Desenvolvimento Social do país.

 Há igualmente o estreitamento de esforços, no sentido de enaltecer a importância de um intercâmbio entre pesquisadores de renomadas instituições, estudantes e a população em torno da permeabilização desta temática de forma horizontal e cooperativa de um modo mais consistente e próxima das questões sociais que emergem na sociedade contemporânea.

Desde sua origem no Rio de Janeiro, por meio do Núcleo de Solidariedade Técnica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Soltec/UFRJ), o evento percorre todo o Brasil, tendo passado pelo Rio Grande no Norte, Pará, Bahia, São Paulo, Santa Catarina e Minas Gerais. Dessa forma, pretende-se unir todos e todas que buscam fazer Engenharia de forma popular e solidária.

Segundo os organizadores do evento, o Eneds se apresenta em perfeita consonância com as diretrizes instituídas pelo Conselho Nacional de Educação e a Câmara de Educação Superior. De acordo com artigo 3º da Resolução CNE/CES 11, de 11 de março de 2002, os cursos de graduação em Engenharia devem ter como perfil egresso o engenheiro com “formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, capacitado a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da sociedade”.

Mais informações sobre o Eneds 2017 relativas a palestras, minicursos, oficinas e artigos científicos podem ser obtidas no site: http://eneds.net/2017/

A Unifei sediou, de 17 a 20 de outubro, a XIV edição do Encontro Nacional de Engenharia e Desenvolvimento Social (Eneds).

Houve a participação de estudantes e professores de várias instituições de ensino superior do Brasil.

O Eneds ocorre anualmente e tem por objetivo abrir um espaço de reflexão dentro da Engenharia para discutir os caminhos e as possibilidades de desenvolvimento social.

Com a composição das mesas do evento, pôde-se ter uma representação das diferentes vivências no âmbito da Engenharia.

No final do evento, foi proposta a criação de uma Rede Latinoamericana de Engenharia Popular e a participação de membros da Repos em encontros sobre Engenharia e Desenvolvimento Social em países da América Latina.

A Unifei sediou, de 17 a 20 de outubro, a XIV edição do Encontro Nacional de Engenharia e Desenvolvimento Social (Eneds).
Houve a participação de estudantes e professores de várias instituições de ensino superior do Brasil.
O Eneds ocorre anualmente e tem por objetivo abrir um espaço de reflexão dentro da Engenharia para discutir os caminhos e as possibilidades de desenvolvimento social.
Com a composição das mesas do evento, pôde-se ter uma representação das diferentes vivências no âmbito da Engenharia.
No final do evento, foi proposta a criação de uma Rede Latinoamericana de Engenharia Popular e a participação de membros da Repos em encontros sobre Engenharia e Desenvolvimento Social em países da América Latina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *